Visualização de Informação em Português

Bem-vindo e obrigado pela sua visita ao site ExcelCharts.com. É muito gratificante para mim receber visitantes de Portugal. Esta página destina-se a partilhar consigo na nossa língua comum o que procuro fazer aqui e de que forma isso poder trazer benefícios para si como leitor e utilizador do site.

Acredito que um maior conhecimento prático de análise de dados e, em especial, da sua representação gráfica, é uma das respostas mais eficientes para gestão do crescente volume de dados disponíveis. Em circunstâncias normais, uma melhor análise, com dados mais detalhados, traduz-se em melhores decisões e num maior retorno do investimento na aquisição nos dados.

A partir desta premissa, e sendo uma evidência que o trabalho de representação gráfica de informação nas organizações é feito maioritariamente em Excel e Powerpoint, a criação do ExcelCharts.com aparece com naturalidade.

Será que basta saber pegar numa caneta para saber escrever? Esta pergunta é menos retórica do que parece: é isso que se passa na maioria das organizações, quando é dada formação em aplicações informáticas. Assume-se que, ao dar formação numa ferramenta, o domínio da tarefa vem como bónus. Saber fazer gráficos em Excel não significa saber fazer gráficos.

Visualização de Dados para as Massas

Sendo uma aplicação com que toda a gente sabe trabalhar, competências que, por acaso, sejam aplicadas com recurso ao Excel tendem a ser desvalorizadas. E, como é óbvio, o Excel é muito menos sexy que ferramentas mais obscuras ou mais próximas de áreas como o design gráfico.

Tenho por vezes a tentação de escrever sobre essas ferramentas, mas, se queremos aumentar a literacia gráfica, os princípios e boas práticas da visualização de informação podem e devem ser transmitidos com aplicações de acesso generalizado como o Excel.

Produtos e Serviços do ExcelCharts.com

Pense em gráficos como frases visuais. Muitas vezes podemos contar ums história com uma única frase, mas se usarmos mais frases as histórias são mais completas e detalhadas. Um dashboard para monitorização da performance empresarial é como uma dessas histórias.

Um dos primeiros artigos publicados no ExcelCharts.com (“How to Create a Dashboard in Excel”) é ainda uma das páginas mais populares do blog. Esse artigo foi acompanhado por um tutorial video que detalha todos os passos para criação de um dashboard complexo em Excel. Acredito que quem domina as técnicas aí apresentadas pode criar qualquer dashboard em Excel.

Esse tutorial teve desde sempre excelente feedback. Em 2010 foi criada uma nova versão de acesso online e que marcou a abertura da área reservada do site, onde serão publicados muitos outros cursos, tanto de iniciação como avançados. Quero mostrar nesses cursos o “como se faz” mas também o “porque se faz”.

A Visualização de informação em Portugal

Há uns anos fiz um mestrado em estatística e gestão de informação e gostaria de ter escrito uma tese sobre a visualização de informação em ambiente empresarial. Infelizmente, não encontrei um orientador português especializado no tema. Foi também o ano em que nasceram os meus filhos, o Gustavo e o Lourenço (sim, são gémeos e sim, dão muito trabalho…). Acabei por adiar a tese, até hoje, e confesso que não me arrependo. Aprendi muito mais com o blog e com a interacção com os leitores que fazendo a tese. Mas ainda está nos meus planos.

Serve este preâmbulo para confessar que não estou muito muito familiarizado com o que se passa em Portugal nesta área. Julgo que em cinco anos pouco terá mudado e que continuará a não ser dada nas universidades relevância à representação gráfica de informação.

Há, no entanto, duas excepções que gostaria de referir. Ana Alexandrino Silva, antigo quadro do INE, escreveu uma tese que mais tarde publicou sob o nome de Gráficos e Mapas – Representação e Informação Estatística. Suponho que terá sido uma das primeiras pessoas em Portugal a falar de alguns dos autores de referência, como Edward Tufte.

Um outro autor, Jorge Caldeira, tem vindo a desenvolver um trabalho na aplicação da metodologia Balanced Scorecard. O seu último livro, Dashboards – Comunicar Eficazmente a Informação de Gestão complementa essa actividade e articula os princípios gerais de criação de dashboards com conselhos práticos e detalhados sobre como os elaborar.

Ambos os livros são obras de referência que introduzem o leitor português às boas práticas na representação gráfica de informação e aos instrumentos que, tirando partido dessa representação, facilitam a monitorização da performance nas organizações.

Sobre Mim

O meu nome é Jorge Camões e vivo em Oeiras. O meu percurso profissional esteve sempre ligado à criação de produtos de informação. Recentemente (Maio de 2010) decidi deixar a função de técnico de Business Information numa multinacional farmacêutica para me dedicar em exclusivo ao ExcelCharts.com. Quero aprender muito mais e transmitir esse conhecimento aos leitores de forma pragmática. Acredito que, se o fizer bem, serei recompensado pelos muitos milhares de leitores do blog.

Embora a minha actividade se desenvolva quase em exclusivo através do site, estou disponível para acções de divulgação e formação presencial. Se julga que a sua organização pode beneficiar de uma melhor visualização de informação contacte-me para que possamos fazer uma avaliação das suas necessidades.

Participe!

Diga-me o que gostaria de ver no site, como entende a visualização de informação, que tipo de abordagem é feita na sua organização… enfim, participe na discussão.

13 thoughts on “Visualização de Informação em Português

  1. Concordo consigo quanto à literacia da representação gráfica. Dou aulas com folhas de cálculo e realmente muitas das pessoas ficam fascinadas com a beleza gráfica em detrimento da qualidade de representação e leitura dos dados representados.
    Permita-me um acrescento: por que não propagar mais a utilização de software livre para tornar ainda mais comum o uso destas ferramentas? Exemplo: uso do Calc openoffice.

    Um abraço
    Jaime Santos – ESE João de Deus

  2. A administração publica deveria dar o exemplo, mas o pais é rico… As empresaas privadas obviamente fazem com o seu dinheiro o que bem entendem, e nem sempre a escolha é linear. Uma multinacional, por exemplo, tem custos por posto de trabalho muito baixos, não é propriamente os 500 euros que pagamos quando compramos o office na fnac…

  3. Tenho seguido com muita atenção o site bem como os conselhos dos tutoriais.
    Neste momento trabalho numa multinacional fora de Portugal e é com muito orgulho que divulgo este site como o bom exemplo para a analise/estrutura de informação.
    Os resultados dos meus trabalhos tem sido recebidos com grande entusiasmo e devo-o ao que aprendi neste site ate agora.
    Muito boa partilha de informação Jorge, Obrigado.

  4. Obrigado Pedro, é sempre agradável contactar com o 0,1% de leitores portugueses… Os meus projectos para 2011 vão no sentido de melhorar e ampliar o blog, para que ele se torne uma referência na área da gestão, análise e visualização de informação de negócio.

  5. parabens pelo trabalho. Tenho muito interesse em desenvolver em excel coisas dinamicas. Sou fã do gapminder e de suas formas de demonstrar as coisas.
    Tenho uma pergunta:

    O curso pode ser comprado em Portugues?

    saudações do Brasil

  6. Obrigado, Mauro. Infelizmente não. Gostaria muito de disponibilizar a sua tradução mas isso implica também refazer os videos com um Excel localizado. Talvez daqui a alguns meses o possa fazer, depois de publicar vários outros cursos que ando a preparar.

  7. Olá Jorge Camões,

    É gratificante verificar que existem portugueses com valor neste Mundo.
    Antes de tudo parabéns pelo site, e vou passar a vir aqui para saber quando realiza cursos de Excel.
    Analiso o desempenho de vários factores por região (distrito, concelho e freguesia).
    Dou muito importância à representação gráfica e estou sempre à procura de novos modelos e tipos de gráficos.

    Cumprimentos,

  8. Jorge,

    Sabe como consigo arranjar um mapa com a divisão administrativa (distrito, concelho, freguesia) de Portugal em Excel?

  9. Os mapas de base devem estar disponíveis no site do Atlas do Ambiente. Se tiver um programa de GIS a conversão para as shapes do Excel é fácil. Se não tiver, se calhar pode fazer o download de um deles e usá-lo no período de Free Trial para fazer a conversão.

    Tenho um post sobre como usar os centros das freguesias como pontos num gráfico de dispersão, mas usar as freguesias como polígonos nunca tentei, Suponho que começa a ser complicado para o Excel fazer a gestão de mais de quatro mil shapes.

  10. Olá

    Trabalho como analista de mercados para uma empresa londrina e vim aqui parar á procura de informacao sobre dashboards e parece-me que encontrei o sitio certo. Muito obrigado

    é

Leave a Comment